A Bela Adormecida: história completa com moral

A Bela Adormecida é um dos mais famosos contos infantis do mundo. Por ser uma história tão conhecida, ela já foi contada de maneiras diferentes, mas sempre com um final feliz para a princesa.

Escrito pela primeira vez pelos irmãos Grimm, o conto faz parte do folclore da Alemanha. Assim, foi passado de pais para os filhos há séculos pela tradição oral, continuando a encantar crianças e adultos até hoje.

Por isso, se deseja relembrar esse conto, não deixe de continuar a leitura. Conheça os principais personagens, enredo completo e curiosidades sobre um dos mais amados contos infantis de todos os tempos.

Personagens de A Bela Adormecida

Os personagens principais da história da Bela Adormecida estão presentes em praticamente todas as versões contadas.

Veja também: Alice no País das Maravilhas

moral da historia
(Foto: Estanbul)

Conheça cada um deles a seguir:

  • Princesa: personagem principal da história, a princesa encanta a todos com a sua beleza, bondade e gentileza. Ela é amaldiçoada pela fada má, caindo em um sono profundo.
  • Fada má: ao contrário da maioria das fadas, não se importa em prejudicar quem a contraria. Por esse motivo, lança um feitiço na jovem princesa porque não foi convidada para o seu batizado.
  • Boas fadas: as três boas fadas ajudam a amenizar o feitiço lançado pela fada má. Assim, ao invés de a princesa morrer com a maldição que recebeu, apenas adormece.
  • Príncipe: valente e corajoso, ele é quem salva a princesa da maldição, despertando-a com um beijo.

História A Bela Adormecida completa

Era uma vez um rei e uma rainha que tiveram uma linda princesinha. Para comemorar, eles convidaram o reino todo para o batizado da filha, mas esqueceram de enviar o convite para uma fada.

Para se vingar, a fada má lançou um feitiço na princesa:

– Quando você for uma jovem moça – disse a fada má – espetará o dedo em uma roca de fiar e morrerá!

Com uma gargalhada, a fada má foi embora, deixando a todos aterrorizados. Porém, havia entre os convidados três boas fadas, que se uniram para tentar ajudar a princesinha. Usando suas varinhas de condão, disseram:

– Quando um dia você tocar a roca com o dedo, não morrerá. Apenas vai cair em um sono profundo, até o dia em que for acordada com um beijo de amor verdadeiro.

O rei então mandou que todas as rocas do reino fossem colocadas em um lugar seguro e escondido. O tempo passou e a princesa se tornou uma bela moça.

Certo dia, a princesa encontrou por acaso uma roca de fiar escondida no castelo. Curiosa com o estranho objeto, se aproximou e espetou o dedo, caindo em um sono profundo.

O rei, a rainha e todos do reino ficaram profundamente tristes com o que aconteceu. Para evitar que eles sofressem, as três boas fadas lançaram um feitiço, fazendo com que todos também adormecessem, até chegar o dia em que a princesa acordasse.

As fadas também cercaram o castelo com espinhos e um dragão. Assim, apenas um homem valente e destemido seria digno de salvar a princesa e o reino.

Anos se passaram e vários tentaram entrar no castelo, mas desistiram por causa das dificuldades e perigos. Até que um dia, um jovem príncipe soube do ocorrido e foi até o castelo.

Ele passou pelos espinhos e derrotou o dragão com sua espada. Chegando ao quarto onde a princesa dormia, ele se apaixonou por sua beleza. Assim, o jovem deu-lhe um beijo, quebrando a maldição.

A Bela Adormecida despertou e, ao ver o príncipe, também se apaixonou por ele. Os dois se casaram e viveram felizes para sempre.

Confira a história A Bela Adormecida completa junto com as crianças:

Moral da história da Bela Adormecida

Após contar história da Bela Adormecida, é interessante fazer com que sua filha ou filho pensem sobre o que ela ensina. A seguir, mostramos alguns pontos interessantes sobre a moral da história:

resumo da historia a bela adormecida
(Foto: Stampae Colorare)

Tomar cuidado com a curiosidade

Um dos ensinamentos da história da Bela Adormecida se refere a ter cuidado com a curiosidade. Isso porque a princesa acaba se machucando ao tocar um objeto que não conhecia, o que cumpriu a maldição.

Dessa forma, o conto ensina às crianças (que são naturalmente curiosas) a tomarem cuidado com aquilo que não conhecem.

Não ser invejoso

A fada má lança o feitiço na princesa porque não foi convidada por seus pais para o batizado. Isso demonstra as consequências da inveja, que pode levar ao desejo de se vingar das pessoas.

Ter coragem frente aos desafios

O jovem príncipe se mostrou corajoso e persistente. Ao contrário dos outros homens, que desistiram de salvar a princesa ao se depararem com os espinhos no castelo, ele foi até o fim.

Sempre é possível encontrar uma solução

Quando a princesa é amaldiçoada com a previsão de morrer ao tocar o dedo na roca, as fadas se reúnem pensando numa solução. Como não conseguiram desfazer o feitiço, acabam mudando o trágico fim da princesa, fazendo com que ela apenas adormeça.

Isso ensina às crianças que, não importa a situação, sempre é possível encontrar uma saída.

Conheça ainda: Soldadinho de Chumbo

Curiosidades

Agora que já leu a história e a moral desse belo conto, veja algumas interessantes curiosidades que o envolve:

  • O título original do conto não é A Bela Adormecida, mas sim “A Rosa dos Espinhos” (Dornröschen, em alemão).
  • Nas primeiras versões do conto, a princesa não tem nome. Anos depois, ela passou a ser chamada de Talia, que significa “florescimento”. Atualmente, a princesa é mais conhecida como Aurora, devido ao famoso filme da Disney.
  • Em 1697, o escritor Perrault escreve uma versão onde a princesa e o príncipe se casam e têm dois filhos. O nome da filha é Aurora e o filho se chama Dia.
  • Em outra versão, o príncipe leva a princesa para o castelo, mas a mãe dele não aprova o casamento. Ela tenta acabar com a princesa, mas o príncipe descobre, salvando a princesa de um trágico fim.
historia da bela adormecida
(Foto: NZZ am Sonntag)

Veja mais: Fábulas Infantis

A Bela Adormecida é um conto que nunca sai de moda. Seus personagens e enredo cativantes fazem com que as crianças não se cansem de ouvir toda a história, até o tão esperado “e viveram felizes para sempre”.