Search


Histórias para Dormir Curtas: Contos para Ler e Ouvir

As histórias para dormir curtas são perfeitas para os pais que não querem que os filhos fiquem muito tempo acordados, mas desejam relaxá-los.



Quem tem crianças em casa deve ter nas mangas vários tipos de histórias para dormir curtas, para nunca faltar opções para o momento de colocar os pequenos na cama.



Cada criança gosta de um estilo diferente de historinha, por isso é muito importante conhecer muitas historinhas interessantes e legais. E além de contar histórias já existentes, crie as suas próprias histórias em casa, com os elementos que as crianças gostam, como usar bichos preferidos ou lugares preferidos para enfeitar a historinha.

Histórias para Dormir Curtas com Imagens

Confira muitas histórias infantis para deixar as suas crianças muito mais relaxadas no momento de dormir. Há histórias para todos os estilos. Aproveite!

Lúcia Já Vou Indo

Numa floresta existia muitos animais e todos viviam se reunindo para as festas que ali aconteciam. Entre os animais, havia uma pequena lesminha chamada de Lúcia Já Vou Indo. Lúcia era muito animada e por isso era sempre convidada para as festas que aconteciam na floresta. No aniversário da Dona Coruja, o convite foi enviado, mas Lúcia Já Vou Indo, não conseguiu chegar a tempo, pois por ser uma lesminha era um pouco mais lenta que os outros animais. Na outra festa, um baile na floresta, mais uma vez a lentidão de Lúcia fez com que ela chegasse uma semana após o baile.

Muitas festas aconteceram e Lúcia Já Vou Indo sempre chegava ao local dias depois. Em um de seus atrasos, Lúcia chorou, chorou e chorou por nunca conseguir estar entre os amigos nas festas. E com seu chorinho acordou o canarinho que estava em uma árvore e que logo teve uma ideia – fazer a festa na casa de Lúcia Já Vou Indo.

O canário, conversou com todos da floresta e cada um se encarregou de organizar algo para a festa. As irmãs joaninhas iam arrumar Lúcia; a família do seu coelho ia preparar os quitutes; e assim cada um foi fazendo sua tarefa.

No dia e horário programado, todos chegaram a casa de Lúcia Já Vou Indo que não sabia da surpresa, e assim as irmãs joaninhas já colocaram fitas na cabeça da lesminha, que ficou preparada para a festa. A comemoração foi muito animada e Lúcia ficou muito feliz de estar entre os amigos e conseguir a ir uma das festas da floresta.

lesma

Use todas as histórias para dormir e deixe suas crianças muito alegres (Foto: soloinfantil.com)

Medo de Dormir

Era uma noite escura e muito chuvosa, Pedrinho deitou-se em sua cama para dormir. Como a chuva estava forte, os trovões viam repentinamente e faziam grandes estrondos que assustavam Pedrinho. O garoto com muito medo da chuva não conseguia dormir, e logo chamou sua mãe. A mãe de Pedrinho logo veio ao quarto do garoto, sentou-se na cama ao lado dele e contou a Pedrinho:

– Filho, os medos estão dentro de nossa cabeça, a chuva é só um fenômeno da natureza e o trovão faz parte dela. Apesar do barulho te trazer medo, a chuva é muito boa, pois rega a terra e nos garante saúde e bons alimentos. Já a escuridão da noite é o momento do sol iluminar o dia de outras pessoas no mundo, e pela manhã ele volta para nos trazer luz novamente.

Pedrinho, viu que todo aquele medo era apenas uma criação de sua cabeça, e que não havia nada de ruim. Logo, Pedrinho caiu no sono e dali em diante não teve mais medo da chuva e nem da escuridão da noite.

chuva

(Foto: soloinfantil.com)

O Pássaro que Enganou o Gato

Certo dia, um gato muito sabichão caminhava sobre o telhado de uma casa, quando avistou um canarinho assobiando, em um fio da rede elétrica.

“Ei! Belo pássaro cantor, já sabe da novidade?” Disse o bichano olhando para o alto.

“Que novidade?” Perguntou o passarinho, já desconfiado.

“Uma nova lei foi aprovada… Agora todos os bichos terão de ser amigos, não haverá mais rivalidade, nem presas, nem predadores e todos terão que viver em harmonia”.

“Sério?!!” Questionou o canário.

“Sim, e para comemorar, voe até aqui e venha-me dar um abraço, sejamos amigos!”.

“Tudo bem” disse o canário, ”Vou pousar próximo à casinha do Rex, aquele grande pastor alemão ali no quintal e então nos abraçaremos e comemoraremos os três juntos”.

Ouvindo isto, o felino saltou tentando agarrar o pássaro, que voou rapidamente e gargalhou do gato.

“Lei nova… ha, ha, ha, ha!!!”

O gato saiu frustrado e resmungando, pois não contava com a astúcia do pequeno pássaro.

frajola

(Foto: maecomprosa.com.br)

Contos de Princesa

A Bela Adormecida

Era uma vez, num reino distante, um rei e uma rainha que tiveram uma linda princesinha, a quem chamaram de Aurora. Para celebrar o seu nascimento, todas as fadas foram convidadas para madrinhas. Cada uma das fadas, como prenda, concedeu à princesinha um dom especial. Todas, exceto uma, a fada má, que não foi convidada. Esta, sabendo que todas as outras fadas tinham sido convidadas para celebrar o nascimento da princesa Aurora, decidiu aparecer na mesma à festa e, em vez de lhe conceder um dom à pequena princesa, lançou-lhe uma maldição:

– Princesa Aurora, no dia em que fizeres 15 anos irás picar-te num fuso e morrerás!

Todos no castelo ficaram muito aflitos. Por sorte, havia uma fada boa que ainda não tinha concedido o seu desejo e, não podendo evitar que Aurora se viesse a picar num fuso, alterou o feitiço da fada má, de modo que a princesinha em vez de morrer, caísse num sono profundo. Este feitiço só poderia ser quebrado ao fim de cem anos, quando um príncipe que por lá passasse se apaixonasse pela princesa e a beijasse.

Mesmo assim, o rei mandou destruir imediatamente todos os fusos e rocas que existiam no reino, para impedir que a sua filha se picasse. Os anos passaram e a vida continuou sem nenhuma agitação, tornando-se a maldição apenas uma má lembrança. No dia do seu décimo quinto aniversário a princesa, que brincava no jardim, é estranhamente atraída para a floresta. Lá encontra uma casa abandonada e decide entrar…

Dentro da casa ela encontrou um objeto pontiagudo que não reconhecia.

– Que objeto tão estranho… que será?

Não resistindo à curiosidade pegou nele e acidentalmente picou-se! Imediatamente a princesinha cai num sono profundo.

A fada boa encontra a princesinha adormecida e leva-a para o castelo, deitando-a na sua cama real. A fada decide também adormecer todos os habitantes do castelo, num sono profundo durante cem anos. Entretanto no reino corre a lenda de uma bela princesa adormecida… Um belo dia, um jovem e corajoso príncipe consegue atravessar a densa floresta que envolvia o castelo e encontra todos os seus habitantes adormecidos. Sabendo da lenda, dirige-se ao quarto da princesa e descobre a jovem mais bela que alguma vez vira, e não resiste a beijá-la. Nesse momento, a princesa acorda, assim como todos os seus habitantes. A vida tinha voltado ao castelo! Nesse mesmo dia celebrou-se o casamento entre a bela princesa Aurora e o corajoso príncipe, que viveram felizes para sempre.

A Princesa que Perdeu a Fala

Era uma vez uma princesa que perdera a fala. O que tinha sido, o que não tinha sido, não se sabia. Não falava, pronto. Quanto ao resto, era igual às outras princesas. Até talvez mais bonita. Pena que não se casasse. Pretendentes não lhe faltaram, todos nobres e distintos moços, mas a princesa fazia uma careta mal os via e estava tudo dito. O rei, irmão da princesa, tinha muita pena dela e tudo daria para curá-la daquele estranho mal. E também gostaria que ela se casasse e fosse feliz. Um dia, anunciaram que a comitiva de um príncipe estrangeiro, vindo de muito longe, se acercava do palácio para prestar homenagem ao rei e à princesa.

— Outro pretendente — comentaram os fidalgos da corte.

— Outra careta da princesa — comentaram os fidalgos da corte.

O príncipe vinha embuçado. Nem um bocadinho da cara se lhe via. Só os olhos. Depois de reunir-se com o rei, foi apresentado à princesa.

— Minha querida irmã, este príncipe de terras distantes manifestou-me, com muito boas razões e promessas de aliança, o seu profundo desejo de desposar-te.

Isto disse o rei para a irmã. E continuou:

— A proposta pareceu-me tão interessante para o nosso reino, que eu não vejo motivo para que tu, mais uma vez, me contraries. Tantas foram as tuas caretas aos anteriores pretendentes, que não tolero nem mais uma recusa.

A princesa, de cara fechada, apertava os lábios. Ela era muda, mas não era surda e não estava nada agradada com o que ouvia. Nunca o irmão se lhe dirigira com tanta severidade.

— Desta vez, quando o príncipe se aproximar de ti, para se declarar, tens de oferecer-lhe o teu melhor dos sorrisos — recomendava-lhe o rei.

Nada fazia prever que o tal sorriso despertasse no rosto crispado e colérico da princesa. Veio o príncipe de cara tampada.

— Ele parece que não é dotado de grande beleza, mas será certamente um bom marido — segredou-lhe o mano.

Caiu do príncipe a capa que o ocultava. Um frémito percorreu a sala, cheia de cortesãos. O príncipe era um monstro. Nada de mais feio alguma vez se vira.

— Apresento-te o teu noivo — anunciou o rei.

— Não! – gritou a princesa. — Não, não e não! Que horror.

Depois de ter proferido estas palavras, a princesa fugiu do salão e refugiou-se no quarto.

— Mas falou — disse o príncipe-monstro, descolando da cara a máscara monstruosa.

Era, afinal, um rapaz de muito bom parecer. Entre ele e o rei havia combinação. O jovem príncipe, em anterior visita ao palácio, sofrera a humilhação de ver-se preterido por uma careta da desdenhosa princesa. Merecia ela de resposta outra careta ainda maior. Foi o que o príncipe fez, mostrando-lhe a caraça. O amor pode muito.

— A perda da fala da princesa terá tido por origem um susto — explicava o príncipe ex-monstro. — Só outro grande susto podia curá-la, como se provou.

Houve festa no palácio. A princesa, pelo sim, pelo não, saiu do quarto e veio espreitar. Não é que, pouco depois, estava a dizer sim ao tal príncipe apaixonado?

Evangélicas

O canto do Pássaro

Uma garotinha muito arteira sempre se machucava entre suas brincadeiras. Um dia ao andar de bicicleta, passou rápido por uma lombada e caiu, e logo se perguntou:

– Onde está Deus que não me salva dos tombos?

Ao perguntar, um passarinho cantou e isso deixou a menina feliz!

Num outro dia, a menininha brincando de pega-pega, caiu e ralou o joelho, e se perguntou novamente:

– Onde está Deus, que me deixa cair e machucar?

O passarinho que estava na árvore logo cantou e a menina mais uma vez se alegrou!

E assim, a garotinha percebeu que Deus estava presente em todos os lugares, e que o canto dos pássaros representava Deus nas pequenas coisas, e na alegria de viver. A menina também percebeu que Deus não poderia livrá-la sempre de tudo, mas que poderia reerguê-la com alegria e fé para continuar em frente.

deus

(Foto: soloinfantil.com)

O Batismo de Jesus

Quando se tornou um homem, Jesus se dirigiu até João, disse “Batista” (que significa: que batiza), porque purificava na água aqueles que cometiam más ações e pregava a palavra de Deus. Ao entrar no Rio Jordão, Jesus pediu que João o batizasse (que honra não é crianças? Batizar Jesus!), João respondeu para Ele:

– O Senhor vem a mim, mas eu é que queria ser batizado pelo salvador! (honra maior ainda é ser batizado pelo próprio Jesus)

– Eu lhe peço, João, realize a vontade do Senhor – Jesus respondeu.

E então João o obedeceu.

Depois de ser batizado, Jesus saiu da água e uma pomba voou sobre Ele, e de repente, a voz de Deus ressoou:

– Jesus, és o meu filho amado e me comprazo (explique o significado da palavra para que as crianças entendam melhor o que foi dito) em ti! No final, João disse: “eu vos batizei com águas, Ele vos batizará com o Espirito Santo”.

Bíblicas

Salomão e a Rainha de Sabá

A poderosa rainha de Sabá, quando ouviu a fama de Salomão, foi até ele para testá-lo com enigmas. Subiu a Jerusalém, onde residia Salomão, com muitos camelos carregados de ouro e de pedras preciosas. Apresentou-se a Salomão e lhe propôs os seus enigmas, o rei de Israel respondeu a todos! A rainha ficou muito impressionada, não apenas com a sabedoria do rei, mas também com o reino próspero e rico. Ela disse:

– Ouvi falar da sua grande sabedoria, mas não acreditei. Por isso, vim ver com meus próprios olhos, mas o que se diz por aí não corresponde nem mesmo a metade da sua grandeza! E continuou:

– Seu povo é abençoado, ele pode ouvir suas palavras. Bendito seja o seu Senhor, que se agradou de você e o fez rei de Israel.

Então, a rainha voltou, mas não sem presentear Salomão com ouro, pedras preciosas e madeira. Com a madeira, Salomão mandou fazer liras e harpas para os seus cantores. Além de fortes para o templo que construiu em honra de Deus e para o seu reinado.

O Filho Pródigo

Um homem rico tinha dois filhos, o mais jovem disse ao pai: pai quero receber todo o dinheiro que tenho por direito. O pai assim fez. O jovem, tendo recebido muito dinheiro, partiu em viagem e perdeu tudo se divertindo. Quando não tinha mais nada, nem mesmo o que comer, a fome chegou até ele. Então, esse jovem, pôs-se a buscar trabalho e encontrou um emprego como guardador de porcos. Faminto, observava os animais se alimentando e pensou: as pessoas que trabalham para o meu pai têm alimento em abundância e eu aqui morrendo de fome! Voltarei até o meu pai e pedirei perdão pelo comportamento equivocado que tive e direi a ele que me contrate para trabalhar lá. O jovem partiu e ao se aproximar da casa da família, o pai logo lhe viu e chorando correu ao encontro do filho para abraçá-lo.

– Pai, não sou mais digno de ser seu filho porque me comportei muito mal – o rapaz disse.

Porém o pai o abraçou e mandou os servos trazerem a veste mais bela e coloca-la no filho. Depois disso, organizaram um banquete para festejar o retorno dele.

O filho mais velho, indignado com o pai por ter perdoado o irmão, disse-lhe: por todos esses anos sempre me comportei bem e você nunca organizou uma festa para mim. Meu irmão, que jogou fora todo o dinheiro sem responsabilidade, foi acolhido por você com um rico banquete.

– Filho, você está sempre comigo e o que é meu é seu. Mas é preciso festejar porque seu irmão se comportou mal e agora está arrependido – o pai respondeu.

Histórias de Amor

Flores

Hoje, quando cheguei na porta do meu escritório (eu sou um florista) às 7:00 da manhã, encontrei um soldado do exército uniformizado esperando a loja abrir.  Ele estava a caminho do aeroporto para ir para o Afeganistão por um ano. Ele disse: “Eu costumo levar para casa um buquê de flores para minha esposa toda sexta-feira e eu não quero decepcioná-la enquanto estiver fora.” Ele, então, fez uma encomenda de 52 sextas-feiras à tarde para que entregássemos as flores de sua esposa até que ele voltasse. Eu lhe dei um desconto de 50%, porque eu realmente ganhei o dia ao ver algo tão doce.

Definição de Amor

Um senhor de bastante idade chegou a um consultório médico, pra fazer um curativo em sua mão, na qual havia um profundo corte. E muito apressado pediu urgência no atendimento, pois tinha um compromisso. O médico que o atendia, curioso, perguntou o que tinha de tão urgente pra fazer. O simpático velhinho lhe disse que todas as manhãs ia visitar sua esposa que estava em tratamento numa clínica, com mal de Alzheimer em fase muito avançada. O médico, preocupado com o atraso do atendimento, disse:

– Então hoje ela ficará muito preocupada com sua demora?

O velhinho respondeu:

– Não, ela já não sabe quem eu sou. Há quase cinco anos que não me reconhece mais.

O médico então questionou:

– Mas então para que tanta pressa em vê-la todas as manhãs, se ela já não o reconhece mais?

O velhinho então deu um sorriso e, batendo de leve no ombro do médico, respondeu:

– Ela não sabe quem eu sou… Mas eu sei muito bem quem ela é!

O médico teve que segurar suas lágrimas enquanto pensava. O verdadeiro amor não se resume ao físico, nem ao romântico… O verdadeiro amor é a aceitação de tudo que o outro é… De tudo que foi um dia… Do que será amanhã… e do que já não é mais!

O Amor e o Velho Barqueiro

Chegando, afinal à margem do grande rio, o Amor avistou três barqueiros que se achavam indolentes, recostados nas pedras. Dirigiu-se ao primeiro:

– Queres, meu bom amigo, levar-me para a outra margem do rio?

Respondeu o interpelado, com voz triste, cheio de angústia:

– Não posso, menino! É impossível para mim!

O Amor recorreu, então, ao segundo barqueiro, que se divertia em atirar pedrinhas no seio tumultuoso da correnteza.

– Não. Não posso – recusou secamente.

O terceiro e último barqueiro, que parecia o mais velho, não esperou que o Amor viesse pedir-lhe auxílio. Levantou-se, tranquilo, e estendendo-lhe bondoso a larga mão forte, disse-lhe:

– Vem comigo, menino! Levo-te sem demora para o outro lado.

Em meio a travessia, notando o amor a segurança com que o velho barqueiro barquejava, perguntou-lhe:

– Quem és tu? Quem são aqueles dois que se recusaram a atender ao meu pedido?

– Menino – respondeu paciente, o bom remador.

– O primeiro é o Sofrimento; o segundo é o Desprezo.

Bem sabes que o Sofrimento e o Desprezo não fazem passar o Amor!

– E tu, quem és, afinal?

– Eu sou o Tempo, meu filho – atalhou o velho barqueiro.

– Aprende para sempre a grande verdade. Só o Tempo é que faz passar o Amor!

E continuou a remar, numa cadência certa, como se o movimento de seus braços possantes fosse regulado por um pêndulo invisível e eterno. Sofrimento, desprezo… Que importa tudo isso ao coração Apaixonado? O Tempo, e só o Tempo, é que faz passar o Amor.

Infantil para Ouvir

Assista ao vídeo do canal Audio Livros Infantis e ouça a história do peixinho e do gato. Confira os outros vídeos bem interessantes do canal Audio Livros Infantis.

Assista ao vídeo do canal BalãoAzul e ouça a história de João e Maria. Veja os outros vídeos bem legais do canal BalãoAzul.

Histórias para Dormir Curtas: Contos para Ler e Ouvir
Avalie esta matéria!






Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*